DONS - 2 - Profeta

TITULO - προφητεια propheteia

- Discurso que emana da inspiração divina e que declara os propósitos de Deus, seja pela reprovação ou admoestação do iníquo, ou para o conforto do aflito, ou para revelar coisas escondidas; esp. pelo prenunciar do eventos futuros

- da predição de eventos relacionados com o reino de Cristo e seu iminente triunfo, junto com as consolações e admoestações que pertence a ela, o espírito de profecia, a mente divina, origem da faculdade profética

 BASE BIÍBLICA - EF 4.11 -12 / I Co 12.28-31 / Rm 12.5

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para PROFETAS, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres. (Efésios 4.11)

 RESUMO INDICATIVO DO DOM -

O Dom de Profeta é um dos dons espirituais de maior destaque. Isto se dá por conta de sua constante utilização pública da Palavra de Deus, e o confronto com as praticas de pecado da sociedade.

Aquele que tem o Dom de Profeta tem como características mínimas necessárias:

a)                  Conhecimento da Palavra de Deus;

b)                  Autoridade Espiritual pelo exemplo de vida;

c)                  Ousadia, coragem e determinação para sustentar a Verdade;

 Mais do que predizer o futuro, o Dom de Profeta é um dom para o presente (a tempo e fora de tempo).

A respeito de sua importância o apostolo Paulo diz ser este Dom superior aos outros

“Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas, muito mais, porem, que profetizásseis..” I Co 14.5

“Porem se todos profetizarem, e entrar algum incrédulo ou indouto, é ele por todos convencido e por todos julgados” I Co ‘4.24

“Portanto irmãos procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas”. I Co 14.39

 O Dom de Profeta no ANTIGO TESTAMENTO

Temos a manifestação clara e direta do Dom de Profeta na vida de grandes homens (Moisés, Elias, Eliseu, Samuel, Natã) e mulheres (Miriã, Debora; Hilda, etc) de DEUS que falavam da parte do próprio Deus diretamente ao povo.

O profeta era conhecido por sua autoridade e dependência única e exclusiva de Deus ao ponto de enfrentar inimigos e exércitos poderosos (Moises x Faraó, Elias x Acabe e seus profetas) ou mesmo a ordem comum estabelecida e os lideres religiosos do povo (Jeremias x Religiosos da época).

Também tinha sua vida como exemplo público da vontade e planos de Deus (Amós), e agia na vontade de Deus mesmo contra sua própria opinião ou desejo (Jonas).

A validade do Ministério Profético de alguém era aceita pelo cumprimento da profecia:

'Como saberemos se uma mensagem não vem do Senhor?' Se o que o profeta proclamar em nome do Senhor não acontecer nem se cumprir, essa mensagem não vem do Senhor. Aquele profeta falou com presunção. Não tenham medo dele.” Dt. 18.20-22

O jargão usual utilizado pelos Profetas demonstrava de onde vinha sua autoridade, ao se apresentarem ao povo diziam: “Assim diz o Senhor”! e depois desta frase nada impedia o exercício do seu Dom.

Apesar da ação soberana independente e exclusiva de Deus, alguns profetas tinham seus dons desenvolvidos a partir da ação de Mentoria – relação de Elias e Eliseu (capitulo 2 de II Reis), ou mesmo de uma “escola de profetas” – Eliseu e seus discípulos.

 O dom de profeta NO NOVO TESTAMENTOπροφητεια -

Se no A.T. o Dom manifestava a revelação do próprio DEUS  -não o é diferente no N.T. todavia, vale a consideração que no A.T. sem o derramar universal – toda a carne, do Espírito Santo (Joel 2.28) a revelação ocorria de maneira especifica, sazonal na vida de poucos personagens que se colocavam a disposição de Deus, já no N.T. após o derramar do Espirito Santo em toda carne (Atos 2.1-5) a Profecia – que também vem do Espírito Santo de Deus, é direcionada pela revelação escrita, manifestada e cumprida em Jesus, e aponta para o futuro da grande volta do Senhor. Ou seja, se no A.T. a validade da profecia era o seu cumprimento (Dt 18.20-22) no N.T. a profecia é validada pela “Revelação Escrita” ou seja o Profeta profetiza sustentado, suportado e alicerçado pela revelação escrita.

O próprio Jesus indica esta ação do Espírito Santo, ao declarar:

“Quando porém, vier o Consolador, que eu (Jesus) vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim” João 15.26

Ou seja, o Espírito Santo vem para testificar e ratificar a obre de Jesus, não para retificá-lo ou completa-la, a obra de Cristo já esta completa, e é suficiente!

Abaixo algumas características do Dom de Profecia, e qualidades e perigos na vida dos Profetas.

 ATRIBUTOS DO DOM DE PROFETA

Equivocadamente muitos resumem o Dom de Profeta ao ato de prever o futuro, todavia, o Dom de Profeta que é distribuído por Deus desde os personagens do A.T até os dias atuais vai muito além da ação do vidente.

O profeta não apenas “prevê o futuro” conforme a Palavra de Deus, mas, também:

A.  ENSINA                              - a Palavra com Fidelidade a todo povo;

B.  PRESERVA                          -  a chama da Fé acesa de geração em geração;

C.  ORIENTA GOVERNOS/LIDERES - Alerta, instrui, denuncia a injustiça, exige mudanças;

D.  LEMBRANÇA E MEMÓRIA        - Não somente aponta o futuro, mas, revisita o passado;

E.  ORIENTA O POVO                 - Não somente no discurso teórico, mas, num viver fiel e empolgante da Palavra de Deus;

F.  REINTERPRETA                     - Mantendo a mensagem, e a verdade central e original, traz novas aplicações e contextualização para os novos ouvintes.

G.  APONTA PARA O FUTURO       - Anuncia a volta de Jesus, o cumprimento final e perfeito de toda a Escritura Divina.

Ou seja, o ministério profético, é muito maior, extenso e relevante do que se pensa. E, é, sempre atual. Pois trabalha por um presente de fidelidade e paz, mirando num futuro de honra e glória no nome de JESUS!

1 – ENSINAR A PALAVRA

Assim como no passado, também hoje aqueles que tem o Dom de Profeta, normalmente recebem de DEUS outros Dons, que apoiam e suportam a Profecia. É complicado imaginarmos um ministério profético sem DIRCERNIMENTO por exemplo.

Moises – levita, exerce os Dons de SACERDOTE, GOVERNO, MISERICÓRDIA e PROFECIA, diante do povo. Moises é eleito por Deus e ensina o povo a Palavra de Deus, entrega ao povo os mandamentos, e os explica, de maneira didática, continua e exaustiva.

O Profeta atual tem a sua profecia suportada pela Palavra Revelada, assim sendo, é necessário que ele a conhece bem, e tenha a capacidade de ensiná-la ao Povo. O Profeta além do discurso por vezes itinerante, deverá ter raízes forte na igreja local como MESTRE da Palavra.

 2  – PRESERVA A VERDADE E A FÉ NA VERDADE

A ação profética do ensino da Palavra de Deus tem como objetivo direto a preservação da Verdade, diante de tantas distorções e falsas profecias – com uso indevido, desrespeitoso e irreverente da Biblia, o Profeta de Deus deverá ter autoridade do Espírito Santo para combater as heresias e falsas profecias, com voz ativa, corajosa e audível.

 3 – ORIENTAR O GOVERNO e LIDERANÇAS

Outro papel do Profeta é de ORIENTAÇÃO / APOIO às lideranças, talvez o profeta não seja o LIDER / ESTADISTA, - como foi Moises, mas, a liderança do povo deve estar sujeita à Palavra de Deus, e o Profeta deve orientar os lideres, assim fez Samuel com Saul e Davi, e Joiada  com Joás II Re 12.2; X II Cr 24.17-22

 4 – LEMBRAR O POVO A PALAVRA

Trazer a memória à Palavra de Deus, e renovar diante do povo seus valores, diante das mudanças das sociedades locais, é outro importante atributo do Profeta.

Esdras faz exatamente isto, resgatando a memória do povo as palavras de Deus esquecidas após o cativeiro.

Neemias capitulo 8, João Batista diante de Herodes, e o Apostolo Paulo diante dos governantes Romanos.

Ou seja, a rememória da Palavra objetiva “

a)   Gerar FÉ” aos ouvintes- A Palavra é de Deus, logo é transcendente é sobrenatural. O registro dos milagres, teofania e ações diversas do Deus Eterno objetivavam trazer “Revelação” ao povo de Israel, agora denominado o Povo de Deus.

b)   Registrar a Aliança

A formalização do Pacto garantia ao Povo o cumprimento do que foi prometido. Ou seja, ao povo era possível observar a ação de Deus no desenvolvimento da história humana, associar os fatos de hoje ao pacto formalizado no passado.

c)    Demonstrar Fidelidade

Como a aliança era oficial, não era o devaneio de um homem, havia registro escrito, formal e histórico desta, o povo podia “validar” a Fidelidade de Deus, assim como o próprio Deus, irá cobrar os itens do pacto ao povo através dos seus profetas.

O ensino além de gerar conhecimento, dava condições às novas gerações de serem fidedignas com o pacto acordado pelos pais no passado, no qual os filhos são herdeiros e beneficiários diretos.

 5 – EXORTAR E CORRIGIR O POVO

Após a re-visita às Profecias – Palavras do passado, a verificação da fidelidade do Deus da Palavra, a sua grandeza, poder, e majestade, o Profeta passa a “Exigir” respostas do povo. Ou seja, primeiro Deus fez, e por isso Deus exige.

a)                  Exigir Cumprimento

O pacto é detalhado, minucioso, a palavra profética não apenas ensina o pacto, mas, tem autoridade para exigir do povo o cumprimento integral das Palavras do Deus verdadeiro.

b)                 Ser Exemplo e Modelo

O Profeta exige algo do povo que ele mesmo cumpre, o Profeta desafia o povo a trilhar um caminho que ele mesmo já trilha! A autoridade do Profeta no A.T. por vezes era sustentada por atos de Maravilhas (Elias, Eliseu, etc) nos dias atuais a autoridade do Profeta é sustentada por uma vida integra diante do Deus verdadeiro. O que nos dias atuais também é um milagre!

 6 – REINTERPRETA A PALAVRA PARA O PRESENTE

Outro importante papel do Profeta é o de “Reinterpretar” A Palavra de Deus – conservando sua verdade e essência, para os ouvintes dos dias atuais.

O Profeta mantem a essência da mensagem, mas, contextualiza os fatos do Passado diante da geração atual.

 7 – APONTAR PARA O FUTURO

E por fim, o Profeta exerce sua função de vidente, não limitando sua profecia a predição de vulgaridades, ou particularidades – “eis que te digo...” a Profecia suportada pela Palavra de Deus não atuará no egocentrismo do homem, mas, aponta para as ações da IGREJA – o corpo de Cristo, para a vitória do Cordeiro, e para o retorno triunfante do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

 PERIGOS NO USO DO DOM DE PROFETA

É sempre importante lembrar que quem ESTABELECE, SEPARA e CONFIRMA é o próprio Deus. Esta chamada especial é confirmada na vida do eleito e de sua igreja local, no caso do Dom de Profeta, será evidente (por conta do uso público do dom) à igreja local, talvez mais rápido do que outros dons por esta questão de “evidencia” ou notoriedade. Mesmo não sendo a notoriedade algo a ser buscada pelo Profeta, ela ocorre de maneira natural, e deverá ser bem cuidada pelo cristão, para que não ocorra vaidade e ou soberba.

VAIDADE

Desejo de atrair a atenção para si, e não para a Palavra Profética que anuncia.

SOBERBA

Colocar-se a frente de outros irmãos, buscar condição de liderenças, exclusividade, proeminência que não lhe cabe ou não lhe seja devida.

PRESUNÇÃO

Atitude egocêntrica de autossuficiência e não dependência do Deus da Palavra, o que leva o Profeta a falar de sua mente e ou coração, e não exclusivamente da Palavra de Deus.

 CONCLUSÃO

O Dom de Profeta é para os dias atuais. O Dom de Profeta é um Dom do Novo Testamento, não extinguiu-se com o Canon Bíblico, mas, passou a ser suportado e sustentado por este.

Os seus atributos são de altíssima relevância diante de uma sociedade carente e distante da verdadeira Palavra de Deus.

O Profeta da atualidade precisa buscar outros dons para o exercício pleno de seu ministério – Discernimento, Ensino, Fé, entre outros.

Abraços Pr. Públio Azevedo

TITULO - προφητεια propheteia

- Discurso que emana da inspiração divina e que declara os propósitos de Deus, seja pela reprovação ou admoestação do iníquo, ou para o conforto do aflito, ou para revelar coisas escondidas; esp. pelo prenunciar do eventos futuros

- da predição de eventos relacionados com o reino de Cristo e seu iminente triunfo, junto com as consolações e admoestações que pertence a ela, o espírito de profecia, a mente divina, origem da faculdade profética

 

BASE BIÍBLICA - EF 4.11 -12 / I Co 12.28-31 / Rm 12.5

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para PROFETAS, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres. (Efésios 4.11)

 

RESUMO INDICATIVO DO DOM -

O Dom de Profeta é um dos dons espirituais de maior destaque. Isto se dá por conta de sua constante utilização pública da Palavra de Deus, e o confronto com as praticas de pecado da sociedade.

Aquele que tem o Dom de Profeta tem como características mínimas necessárias:

a)                  Conhecimento da Palavra de Deus;

b)                  Autoridade Espiritual pelo exemplo de vida;

c)                  Ousadia, coragem e determinação para sustentar a Verdade;

 

Mais do que predizer o futuro, o Dom de Profeta é um dom para o presente (a tempo e fora de tempo).

A respeito de sua importância o apostolo Paulo diz ser este Dom superior aos outros

“Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas, muito mais, porem, que profetizásseis..” I Co 14.5

“Porem se todos profetizarem, e entrar algum incrédulo ou indouto, é ele por todos convencido e por todos julgados” I Co ‘4.24

“Portanto irmãos procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas”. I Co 14.39

 

O Dom de Profeta no ANTIGO TESTAMENTO

Temos a manifestação clara e direta do Dom de Profeta na vida de grandes homens (Moisés, Elias, Eliseu, Samuel, Natã) e mulheres (Miriã, Debora; Hilda, etc) de DEUS que falavam da parte do próprio Deus diretamente ao povo.

O profeta era conhecido por sua autoridade e dependência única e exclusiva de Deus ao ponto de enfrentar inimigos e exércitos poderosos (Moises x Faraó, Elias x Acabe e seus profetas) ou mesmo a ordem comum estabelecida e os lideres religiosos do povo (Jeremias x Religiosos da época).

Também tinha sua vida como exemplo público da vontade e planos de Deus (Amós), e agia na vontade de Deus mesmo contra sua própria opinião ou desejo (Jonas).

A validade do Ministério Profético de alguém era aceita pelo cumprimento da profecia:

'Como saberemos se uma mensagem não vem do Senhor?' Se o que o profeta proclamar em nome do Senhor não acontecer nem se cumprir, essa mensagem não vem do Senhor. Aquele profeta falou com presunção. Não tenham medo dele.” Dt. 18.20-22

O jargão usual utilizado pelos Profetas demonstrava de onde vinha sua autoridade, ao se apresentarem ao povo diziam: “Assim diz o Senhor”! e depois desta frase nada impedia o exercício do seu Dom.

Apesar da ação soberana independente e exclusiva de Deus, alguns profetas tinham seus dons desenvolvidos a partir da ação de Mentoria – relação de Elias e Eliseu (capitulo 2 de II Reis), ou mesmo de uma “escola de profetas” – Eliseu e seus discípulos.

 

O dom de profeta NO NOVO TESTAMENTO – προφητεια -

Se no A.T. o Dom manifestava a revelação do próprio DEUS  -não o é diferente no N.T. todavia, vale a consideração que no A.T. sem o derramar universal – toda a carne, do Espírito Santo (Joel 2.28) a revelação ocorria de maneira especifica, sazonal na vida de poucos personagens que se colocavam a disposição de Deus, já no N.T. após o derramar do Espirito Santo em toda carne (Atos 2.1-5) a Profecia – que também vem do Espírito Santo de Deus, é direcionada pela revelação escrita, manifestada e cumprida em Jesus, e aponta para o futuro da grande volta do Senhor. Ou seja, se no A.T. a validade da profecia era o seu cumprimento (Dt 18.20-22) no N.T. a profecia é validada pela “Revelação Escrita” ou seja o Profeta profetiza sustentado, suportado e alicerçado pela revelação escrita.

O próprio Jesus indica esta ação do Espírito Santo, ao declarar:

“Quando porém, vier o Consolador, que eu (Jesus) vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim” João 15.26

Ou seja, o Espírito Santo vem para testificar e ratificar a obre de Jesus, não para retificá-lo ou completa-la, a obra de Cristo já esta completa, e é suficiente!

Abaixo algumas características do Dom de Profecia, e qualidades e perigos na vida dos Profetas.

 

 

ATRIBUTOS DO DOM DE PROFETA

Equivocadamente muitos resumem o Dom de Profeta ao ato de prever o futuro, todavia, o Dom de Profeta que é distribuído por Deus desde os personagens do A.T até os dias atuais vai muito além da ação do vidente.

O profeta não apenas “prevê o futuro” conforme a Palavra de Deus, mas, também:

A.                ENSINA                                                       -           a Palavra com Fidelidade a todo povo;

B.                 PRESERVA                                                 -           a chama da Fé acesa de geração em geração;

C.                 ORIENTA OS GOVERNOS E LIDERES -           Alerta, instrui, denuncia a injustiça, exige mudanças;

D.                LEMBRANÇA E MEMÓRIA                    -           Não somente aponta o futuro, mas, revisita o passado;

E.                 ORIENTA O POVO                                    -           Não somente no discurso teórico, mas, num viver fiel e empolgante da Palavra de Deus;

F.                  REINTERPRETA                                        -           mantendo a mensagem, e a verdade central e original, traz novas aplicações e contextualização para os novos ouvintes.

G.                APONTA PARA O FUTURO                     -           anuncia a volta de Jesus, o cumprimento final e perfeito de toda a Escritura Divina.

Ou seja, o ministério profético, é muito maior, extenso e relevante do que se pensa. E, é, sempre atual. Pois trabalha por um presente de fidelidade e paz, mirando num futuro de honra e glória no nome de JESUS!

1 – ENSINAR A PALAVRA

Assim como no passado, também hoje aqueles que tem o Dom de Profeta, normalmente recebem de DEUS outros Dons, que apoiam e suportam a Profecia. É complicado imaginarmos um ministério profético sem DIRCERNIMENTO por exemplo.

Moises – levita, exerce os Dons de SACERDOTE, GOVERNO, MISERICÓRDIA e PROFECIA, diante do povo. Moises é eleito por Deus e ensina o povo a Palavra de Deus, entrega ao povo os mandamentos, e os explica, de maneira didática, continua e exaustiva.

O Profeta atual tem a sua profecia suportada pela Palavra Revelada, assim sendo, é necessário que ele a conhece bem, e tenha a capacidade de ensiná-la ao Povo. O Profeta além do discurso por vezes itinerante, deverá ter raízes forte na igreja local como MESTRE da Palavra.

 

2  – PRESERVA A VERDADE E A FÉ NA VERDADE

A ação profética do ensino da Palavra de Deus tem como objetivo direto a preservação da Verdade, diante de tantas distorções e falsas profecias – com uso indevido, desrespeitoso e irreverente da Biblia, o Profeta de Deus deverá ter autoridade do Espírito Santo para combater as heresias e falsas profecias, com voz ativa, corajosa e audível.

 

3 – ORIENTAR O GOVERNO e LIDERANÇAS

Outro papel do Profeta é de ORIENTAÇÃO / APOIO às lideranças, talvez o profeta não seja o LIDER / ESTADISTA, - como foi Moises, mas, a liderança do povo deve estar sujeita à Palavra de Deus, e o Profeta deve orientar os lideres, assim fez Samuel com Saul e Davi, e Joiada  com Joás II Re 12.2; X II Cr 24.17-22

 

4 – LEMBRAR O POVO A PALAVRA

Trazer a memória à Palavra de Deus, e renovar diante do povo seus valores, diante das mudanças das sociedades locais, é outro importante atributo do Profeta.

Esdras faz exatamente isto, resgatando a memória do povo as palavras de Deus esquecidas após o cativeiro.

Neemias capitulo 8, João Batista diante de Herodes, e o Apostolo Paulo diante dos governantes Romanos.

Ou seja, a rememória da Palavra objetiva “

a)   Gerar FÉ” aos ouvintes- A Palavra é de Deus, logo é transcendente é sobrenatural. O registro dos milagres, teofania e ações diversas do Deus Eterno objetivavam trazer “Revelação” ao povo de Israel, agora denominado o Povo de Deus.

b)   Registrar a Aliança

A formalização do Pacto garantia ao Povo o cumprimento do que foi prometido. Ou seja, ao povo era possível observar a ação de Deus no desenvolvimento da história humana, associar os fatos de hoje ao pacto formalizado no passado.

c)    Demonstrar Fidelidade

Como a aliança era oficial, não era o devaneio de um homem, havia registro escrito, formal e histórico desta, o povo podia “validar” a Fidelidade de Deus, assim como o próprio Deus, irá cobrar os itens do pacto ao povo através dos seus profetas.

O ensino além de gerar conhecimento, dava condições às novas gerações de serem fidedignas com o pacto acordado pelos pais no passado, no qual os filhos são herdeiros e beneficiários diretos.

 

5 – EXORTAR E CORRIGIR O POVO

Após a re-visita às Profecias – Palavras do passado, a verificação da fidelidade do Deus da Palavra, a sua grandeza, poder, e majestade, o Profeta passa a “Exigir” respostas do povo. Ou seja, primeiro Deus fez, e por isso Deus exige.

a)                  Exigir Cumprimento

O pacto é detalhado, minucioso, a palavra profética não apenas ensina o pacto, mas, tem autoridade para exigir do povo o cumprimento integral das Palavras do Deus verdadeiro.

b)                  Ser Exemplo e Modelo

O Profeta exige algo do povo que ele mesmo cumpre, o Profeta desafia o povo a trilhar um caminho que ele mesmo já trilha! A autoridade do Profeta no A.T. por vezes era sustentada por atos de Maravilhas (Elias, Eliseu, etc) nos dias atuais a autoridade do Profeta é sustentada por uma vida integra diante do Deus verdadeiro. O que nos dias atuais também é um milagre!

 

6 – REINTERPRETA A PALAVRA PARA O PRESENTE

Outro importante papel do Profeta é o de “Reinterpretar” A Palavra de Deus – conservando sua verdade e essência, para os ouvintes dos dias atuais.

O Profeta mantem a essência da mensagem, mas, contextualiza os fatos do Passado diante da geração atual.

 

7 – APONTAR PARA O FUTURO

E por fim, o Profeta exerce sua função de vidente, não limitando sua profecia a predição de vulgaridades, ou particularidades – “eis que te digo...” a Profecia suportada pela Palavra de Deus não atuará no egocentrismo do homem, mas, aponta para as ações da IGREJA – o corpo de Cristo, para a vitória do Cordeiro, e para o retorno triunfante do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

 

PERIGOS NO USO DO DOM DE PROFETA

É sempre importante lembrar que quem ESTABELECE, SEPARA e CONFIRMA é o próprio Deus. Esta chamada especial é confirmada na vida do eleito e de sua igreja local, no caso do Dom de Profeta, será evidente (por conta do uso público do dom) à igreja local, talvez mais rápido do que outros dons por esta questão de “evidencia” ou notoriedade. Mesmo não sendo a notoriedade algo a ser buscada pelo Profeta, ela ocorre de maneira natural, e deverá ser bem cuidada pelo cristão, para que não ocorra vaidade e ou soberba.

VAIDADE

Desejo de atrair a atenção para si, e não para a Palavra Profética que anuncia.

SOBERBA

Colocar-se a frente de outros irmãos, buscar condição de liderenças, exclusividade, proeminência que não lhe cabe ou não lhe seja devida.

PRESUNÇÃO

Atitude egocêntrica de autossuficiência e não dependência do Deus da Palavra, o que leva o Profeta a falar de sua mente e ou coração, e não exclusivamente da Palavra de Deus.

 

CONCLUSÃO

O Dom de Profeta é para os dias atuais. O Dom de Profeta é um Dom do Novo Testamento, não extinguiu-se com o Canon Bíblico, mas, passou a ser suportado e sustentado por este.

Os seus atributos são de altíssima relevância diante de uma sociedade carente e distante da verdadeira Palavra de Deus.

O Profeta da atualidade precisa buscar outros dons para o exercício pleno de seu ministério – Discernimento, Ensino, Fé, entre outros.

Programação da Semana

Segunda-Feira  - 20 hs
Oração, Clamor e Vitória;

Terça-Feira       - 20 hs
Encontro das Mulheres;

Quarta-Feira    -
16h- Espaço Aberto- Esportes
19h30-RECUPERE - clique aqui
20h- Estudo Biblico/Doutrinario

Quinta-Feira     - 16 hs
Espaço para Adolescentes

Projeto Mulheres do XV

Sábado
8h- EDUCAXV-cursinho ENEM
13h- Ensaios -Adolescentes
14h- Evangelismo- PESCA
15h- Ensaios -Jovens
16h- LIBRAS -
Projeto Mãos que Libertam 
20h- Vide agenda do Mês

Domingos
9h00 hs - Culto da Manhã

9h45 hs - EBD/Ministérios

17h30 - Celebração
19h30 - Celebração

Mensagens

Login -XVNET

Mensagem do Pastor

Foto Culto IBPXV

“Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres."
Salmos 126:3

 A IBPXV é o espaço ideal para você (criança, adolescente, jovem ou adulto) e sua família buscar e desenvolver o Caráter de Jesus Criso.

Uma Igreja "VIVA e ALEGRE" que não abre mão da seriedade e reverência que o relacionamento com o Deus Eterno e Santo exige, assim sendo, manifesta em seus cultos e na vida em sociedade a alegria de filhos que sabem o Pai Amoroso que tem.

Cultos festivos, espontâneos e alegres. Louvor contagiante; Pregações atuais-relevantes;

Clamor/Intercessão contínuo.

Convido você a nos fazer uma visita, e caminhar conosco nesta busca até o Grande Dia de Encontro com o Senhor Jesus.

Abraços Pr. Públio Azevedo.

gp1

gp7

gp2

gp8

gp3

gp9

gp4

gp10

gp5

gp6